“Fizemos economia para devolvermos o máximo possível de recursos para que o Executivo utilize em benefício da população”.

Na tarde de 27 de dezembro, a Câmara Municipal de Descalvado devolveu o saldo restante do seu duodécimo no valor de R$ 1.093.524,86  à Prefeitura, valor que já se encontra disponível nas contas do Poder Executivo.

Conforme dispõe a Constituição Federal, o Poder Legislativo podia utilizar até 7% do orçamento do Município, mas recebeu aproximadamente metade do percentual permitido neste ano e, mesmo assim, está devolvendo o maior valor da história do Legislativo Descalvadense.

Cabe salientar, ainda, que dos R$ 1.093.524,86 devolvidos aos cofres públicos, R$ 24.786,87 referem-se aos rendimentos provenientes da boa aplicação financeira feita pela Câmara, fruto da economia realizada ao longo dos meses e que aplicados renderam juros.

Economia e efetividade

De acordo com o Presidente Luisinho Panone, sua gestão frente ao Poder Legislativo foi pautada na economicidade, eficiência, eficácia e efetividade. Houve gerência de custos, utilizando-se das ferramentas disponíveis de controle administrativo em todas as áreas da Casa, com um esforço conjunto de todos os vereadores e servidores, em busca de uma constante eficiência das tarefas diárias.

Evitamos qualquer tipo de desperdício e foram realizados excelentes processos de compra de materiais e contratações de serviços. Tudo isso sem deixar de investir no principal capital do Legislativo: os seus servidores, que participaram de cursos de capacitação. Além disso, investimos em melhorias na estrutura da Câmara. Contratamos internet mais veloz de fibra ótica que colocou fim nas falhas de transmissão das sessões, e substituímos todo o sistema de monitoramento com instalação de câmeras de última geração para zelar pela preservação e a segurança do patrimônio público”.

Também licitamos e reservamos recursos para construção de estacionamento que vai proporcionar maior segurança e comodidade para todos que se dirigem à Casa da Democracia, sobretudo àqueles que participam de eventos realizados no anexo Espaço Alternativo “Jornalista Milton Timótheo do Amaral”.

“Fizemos a nossa parte (Luisinho)”

Presidente Luisinho Panone

O Presidente da Câmara destacou ainda que esta é uma grande forma de o Legislativo contribuir com o Município neste momento de crise financeira.

Fizemos tudo isso para devolvermos o máximo possível de recursos para que o Executivo utilize em benefício da população. Como Presidente da Câmara Municipal eu não posso comprar um medicamento, pagar um exame ou contratar médicos para atender nossa população. Mas posso e devo economizar e cortar gastos na administração do Legislativo para ao final do ano devolver dinheiro para que o Prefeito o faça. E foi isso que fizemos com muita responsabilidade e acredito que nosso Prefeito utilizará esse recurso da melhor forma possível.”

Vereadores indicam utilização do dinheiro 

No dia 28 de dezembro, os vereadores encaminharam ao Prefeito Municipal o Ofício n. 219/17, sugerindo que os recursos provenientes da devolução fossem aplicados da seguinte forma:

– R$ 400.000,00 para as Entidades Assistenciais locais custearem o décimo terceiro de seus funcionários, bem como para a Santa Casa adquirir uma lavadora extratora fixa, conforme pedido da entidade;

– R$ 170.000,00 para custear a Atividade Delegada no exercício de 2018, conforme plano de trabalho apresentado pelo Comandante da 3ª Cia. do 38º Batalhão da Polícia Militar de Descalvado, visando aumentar a segurança em nossa cidade.

– R$ 523.524,86 para aquisição de área a fim de instalar nela novo distrito industrial, bem como dotá-la de infraestrutura, objetivando atrair novas empresas para a cidade e gerar novos empregos para a população.

Essas são indicações pautadas nas reivindicações e no trabalho dos vereadores no decorrer de 2017, visando atender aqueles que procuraram o Poder Legislativo para expor as suas necessidades, como as entidades assistenciais, a Santa Casa e a Polícia Militar.

Esperamos a compreensão do Prefeito Becão nesse sentido, embora ele não tenha a obrigação de atender a sugestão dos vereadores, finalizou o Presidente Luisinho.